8 Animes sobre garotas fofas fazendo coisas fofas!


Se você chegou até aqui é porque provavelmente já conhece, já ouviu falar, ou, no mínimo, ficou curioso a respeito do que são os animes de garotas fofas fazendo coisas fofas.


A seguir, falaremos um pouco desse gênero que é tão popular no Japão, mas que ainda se conhece pouco aqui no Brasil. Agora, se você já sabe tudo sobre ele, pode pular a explicação e ir direto para a lista com as melhores sugestões de animes de garotas fofas fazendo coisas fofas.


Garotas fofas fazendo coisas fofas e o slice of life

É bem verdade que a maioria dos otakus entrou nessa vida através de animes de ação e aventura. Sejam os shounen com suas lutas épicas, com foco em violência e superação, ou os mahou shoujo e suas garotas super-poderosas salvando o mundo em trajes fofos.

É comum que no início da jornada o otaku vire a cara para animes sem batalhas, ou elementos sobrenaturais, ou alienígenas que tentam dominar o mundo.

Apesar disso, as obras de slice of life (vida cotidiana, em português) marcam presença a cada nova estação. Animes contando sobre o dia a dia de estudantes, ou mesmo de funcionários em uma empresa, normalmente voltados para o drama, o romance ou a comédia. Às vezes, até mesmo misturando esses três gêneros em uma só obra.

Mas trataremos aqui de um subgênero do slice of life, e talvez o que mais surpreende. Digo isso, pois animes de garotas fofas fazendo coisas fofas soa, a princípio, desinteressante. Afinal, quem iria parar para acompanhar um grupo de garotinhas aprendendo algo novo no seu clube da escola ao longo de 12 episódios, sem drama, sem romance, e nem conflitos profundos?

Aí que está, muita gente faz isso.

Essas obras são a prova de que um anime não precisa ter lutas ou romances avassaladores para despertar em nós empatia pelos personagens, nos prendendo em suas histórias, por mais simplórias que sejam.

Ao contrário do que possa parecer, o gosto por esse tipo de anime não possui uma conotação sexual, como normalmente acontece em animes com elenco predominantemente feminino. Não sendo comum que essas obras contenham ecchi ou fanservice.

O que leva o público a gastar tempo com as garotas fofas é outro fator.


O Iyashikei e as garotas fofas


Iyashikei é um termo em japonês que significa "cura", e é utilizado para designar animes feitos para provocar sensação de calma e paz no espectador. 


Imagine chegar em casa estressado depois de um dia exaustivo, você teve várias dores de cabeça no trabalho ou na escola e agora tudo que quer é poder relaxar e esquecer as preocupações. É aí que entram os iyashikei.


Apresentando o melhor da vida cotidiana, esses animes trazem conflitos leves e sem exageros. Mesmo a comédia, que está sempre presente nessas obras, é moderada. Em outras palavras, você irá se divertir e dar boas risadas, mas não espere morrer de rir. Drama, então, nem pensar. Ainda que um e outro momento emocionem, você não irá chorar, nem desligar o computador com a sensação de que seres em 2D partiram seu coração. Esse não é o propósito. O objetivo aqui é te deixar sossegado e relaxado.


O moe aparece como elemento fundamental para provocar esse efeito. Garotinhas fofas lidando com a rotina escolar, o ingresso em um novo clube, ou uma mudança de cidade. Elas não tentarão salvar o mundo ou fazer qualquer outra coisa épica. Elas estarão apenas lidando com conflitos normais do dia a dia, enquanto criam laços de amizade.


Se você é novato nesse mundo de garotas fofas fazendo coisas fofas ou veio aqui somente atrás de recomendações, segue uma lista com 8 animes do gênero.


8 animes sobre garotas fofas fazendo coisas fofas

Yuru Camp

(C-Station)

Após se perder durante um passeio ao Monte Fuji, Nadeshiko Kagamihara é socorrida por Rin Shima, uma campista que tem a mesma idade que Nadeshiko. Após passar a noite acampando com Rin, Nadeshiko decide entrar para o clube de atividades ao ar livre de sua escola. Lá ela conhece Aoi Inuyama e Chiaka Oogaki, as únicas integrantes do clube, que se reúnem em uma sala minúscula, e juntas visitarão os cenários mais bonitos do Japão.

Yuru Camp é provavelmente o anime de maior sucesso desta lista. Explorando o universo do campismo, a obra se tornou uma verdadeira febre no Japão. Não por acaso, o interesse por campismo aumentou consideravelmente no país, aquecendo o turismo nos locais retratados no anime.

Os cenários maravilhosos de Yuru Camp são um convite para explorar a vida ao ar livre. Ao longo da obra somos ensinados sobre os procedimentos e equipamentos necessários para a realização de um acampamento.

Se você nunca teve vontade de acampar, duvido que as aventuras dessas meninas não te façam mudar de ideia.

A franquia conta com um anime de 12 episódios e um spin-off de episódios curtos chamado Heya Camp.



Non Non Biyori


(Silver Link)

A cidadezinha de Asahigaoka é tão pequena que a única escola local possui apenas cinco alunos. Eles dividem a mesma sala, mesmo estando em anos escolares diferentes. Hotaru Ichijou é uma nova aluna recém-chegada de Tóquio, que ao lado de suas novas amigas conhecerá as alegrias que só a vida no interior oferece.

Non Non Biyori é o anime mais simples desta lista. Enquanto outras obras apresentam garotas conhecendo esportes ou atividades novas em seus clubes da escola, Non Non Biyori trata de como é a vida no interior do Japão. Simples assim. Mas totalmente cativante.

A série consegue prender nossa atenção e nos conectar às personagens através de um enredo muito simplório. Não é grande por sua complexidade ou inovação, mas por fazer do simples algo atrativo.

As protagonistas são personagens consistentes e bem construídas. Você se apega às peculiaridades de cada uma. E é lindo ver como Hotaru, a garota da cidade grande, é introduzida ao novo ambiente. Ainda que haja diferenças entre ela e as meninas locais, o estranhamento cultural é tratado de forma inocente e gentil, como deve ser. Ninguém a exclui por ser diferente, tampouco ela se coloca como superior por vir da maior cidade do país.

A série possui uma temporada de 12 episódios, e uma segunda temporada que é, na verdade, a recapitulação da primeira temporada. Mostrando outras histórias que aconteceram durante o mesmo período de tempo da temporada anterior.



Amanchu


(J.C Staff)

Futaba Oki saiu de Tóquio para morar em uma cidade no litoral japonês. Por ser muito tímida, ela teme que não consiga fazer amigos na nova escola. Mas no primeiro dia de aula, ela conhece Hikari Kohinata, uma colega de classe extrovertida e excêntrica. Hikari é praticante de mergulho e faz de tudo para convencer Futaba a entrar para o clube de mergulho da escola.

Amanchu é uma história sobre descobertas, sobre deixar a zona de conforto e se aventurar por um mundo inexplorado. Não esconderei de ninguém que este é meu anime preferido da lista.

A obra é bastante instrutiva, nela aprendemos muito sobre a prática do mergulho. Se você, assim como eu, é um leigo no assunto, vai se surpreender ao saber o quanto esse esporte é complexo, com regras que precisam ser cuidadosamente seguidas para garantir a segurança do praticante.


Para além da parte técnica, acompanhar as emoções de Futaba desbravando o oceano despertará em você o desejo de mergulhar pelo menos uma vez na vida. Visualmente, o estúdio caprichou nas cenas que retratam o oceano, são belíssimas e transmitem muita paz. É de encher os olhos e acalmar o coração!


A relação entre as protagonistas merece destaque. Mesmo sendo tão diferentes, as duas desenvolvem um vínculo inocente e tão profundo quanto o oceano. Daquelas amizades que todos gostariam de ter.


A série possui duas temporadas de 12 episódios cada, além de uma OVA que acontece logo após a primeira temporada.



Flying Witch


(J.C Staff)

De acordo com a tradição, toda bruxa deve sair de casa aos 15 anos para que se torne independente. Assim, Makoto Kowata deixa a casa dos pais e vai morar com seus primos no interior. Lá, ela terá encontros com criaturas mágicas e aprenderá sobre seus poderes de bruxa.

Flying Witch é o único anime desta lista que traz elementos sobrenaturais no centro do enredo. Mas nem por isso espere que as bruxas daqui usem seus poderes em batalhas para salvar ou destruir o mundo.

Flying Witch aborda o mundo das bruxas da perspectiva de como seria o dia a dia de uma aprendiz, que tem que dividir seu tempo entre o estudo das artes mágicas e as obrigações comuns de todo adolescente.

Assim como em Amanchu, o estúdio J.C Staff fez um ótimo trabalho visual em Flying Witch. O design dos personagens é bonito e a animação fluida. Mesmo que você não goste da ideia de um slice of life com sobrenatural, vale a pena conferir só pela qualidade gráfica da obra.

O anime foi adaptado de um mangá curtinho, de apenas 4 volumes, e possui uma temporada de 12 episódios.


Hitoribocchi no Marumaruseikatsu 


(C2C)

Bocchi Hitori é tão tímida que ao longo de toda sua vida só conseguiu fazer uma amiga. Mas agora as duas terão que se separar, pois seguirão para colégios diferentes. Preocupada que a timidez de Bocchi estrague sua juventude, Kai a desafia a ficar amiga de todos os seus novos colegas de classe, do contrário elas não poderão mais ser amigas. Assim, Bocchi se vê obrigada a vencer seu pânico social e criar novos laços.

A história de Bocchi Hitori pode parecer boba para os mais extrovertidos, mas se você é uma pessoa tímida certamente irá se identificar com essa protagonista. Bocchi não é apenas insegura ou reservada, ela possui uma fobia social severa, apresentada na obra de forma bastante sensível, ainda que sem perder o tom descontraído.

Para cumprir o desafio de Kai, ela elabora um roteiro com o passo a passo que deve seguir para conseguir se aproximar das pessoas. Mas cumpri-lo não será nada fácil para alguém que teme até entrar na sala de aula. 

Hitoribocchi foi ao ar durante a primavera de 2019 e, provavelmente, foi a coisa mais fofa exibida naquele ano. Totalizando 12 episódios.


Yama no Susume


(8bit)

Aoi Yukimura é uma colegial quieta que gosta de ficar em casa, até se reencontrar com Hinata Kuraue, uma amiga de infância com quem assistiu a um lindo pôr do sol quando crianças. Hinata, por sua vez, é aventureira e entusiasta do montanhismo, e convence Aoi a deixar a tranquilidade de casa para escalar uma montanha de onde poderiam compartilhar outra vez o pôr do sol.

Yama no Susume é o primo mais velho e menos popular de Yuru Camp. A série também aborda a temática de garotas fofas se aventurando ao ar livre em busca de paisagens deslumbrantes.

A obra dedica-se a expor a prática do montanhismo, então se você é um curioso sobre o tema, Yama no Susume é um jeito divertido e fofo de aprender mais sobre isso.

A série possui 49 episódios, divididos em 3 temporadas, e mais 3 OVAs. Vale lembrar que os episódios na primeira temporada são de apenas 5 minutos, subindo para 15 a partir da segunda.


Anne-Happy


(Silver Link)

A Academia Tennomifune possui uma turma especial conhecida como Classe da Felicidade, dedicada a fazer suas alunas encontrarem a felicidade, afinal, todas elas sofrem de algum tipo de infortúnio. Lá, An, Botan e Ruri se conhecem e tentam juntas superar os desafios na busca de uma vida normal.

Anne-Happy é a obra de enredo mais estranho desta lista. Imagine uma classe onde todas as alunas são azaradas, atormentadas por um mal específico que nunca as deixam em paz.

Ruri possui problemas no amor, estando apaixonada por um... bem, é melhor você ver por si, mas já adianto que uma paixão adolescente nunca foi tão estranha. Já Botan sofre com problemas de saúde — um simples aperto de mão pode quebrar seus ossos —, mas não se preocupe, tudo é retratada de forma bem humorada — por mais errado que isso seja. An, por sua vez, é a rainha da má sorte. Sabe aquela história de que "se algo tem a mais remota chance de dar errado, certamente dará"? Pois é, a Lei de Murphy resume bem a vida de An.

Uma curiosidade sobre o título do anime é que a pronúncia soa como unhappy, que quer dizer infeliz em inglês.

O anime possui uma temporada com 12 episódios, e o mangá do qual teve origem já foi finalizado em 10 volumes.


Anima Yell


(Doga Kobo)

Ao ver um grupo de líderes de torcida se apresentando, Kohane decide que aquela é a atividade perfeita para ela, que adora motivar e ajudar os outros. O problema é que sua escola não possui uma equipe de torcida. Kohane então terá que convencer Hizume, uma ex-cheerleader muito talentosa, a iniciar um novo clube na escola.

Anima Yell é daqueles slice of life que acompanham o dia a dia dos membros de um clube específico. Aqui o mundo das cheerleaders, tão comum em séries americanas, é apresentado de forma simpática e divertida. Ainda que o humor seja leve, você dará boas risadas ao longo da história. Seja por conta das loucuras de Kohane, tentando sempre ajudar as pessoas a sua volta, ou pelas crises traumáticas de Hizume.

A obra é uma adaptação do mangá de mesmo nome e tem um total de 12 episódios. 


O que achou da lista? Me diz aí que animes de garotas fofas fazendo coisas fofas que você curte ficou faltando na lista.

 


Postar um comentário

0 Comentários